Um novo e grandioso espetáculo de rua

Com a experiência das apresentações de rua, os grupos Parlapatões e Pia Fraus decidiram se unir num projeto que, mais do que produzir um espetáculo, pretende romper com o pensamento estigmatizado o qual teatro de rua é tratado. Uma mudança de paradigma necessária para redimensionar e colocar em debate a importância do teatro na construção da cidadania. Com arquibancada montada na rua para 800 pessoas, Hércules é um espetáculo de grandes proporções oferecido gratuitamente ao público.

Com dramaturgia de Hugo Possolo (Parlapatões) e direção de Beto Andreetta (Pia Fraus), Hércules reúne os elencos dos grupos aos participantes das oficinas de elaboração do espetáculo para contar a epopéia grega numa visão contemporânea.

A história do semideus Herácles, mais conhecido por seu nome romano, Hércules, desafiado a realizar doze trabalhos, forneceu o argumento e as imagens para uma montagem grandiosa, de proporções inéditas no país. Além da arquibancada, o cenário é composto de uma carreta de 13m cujas laterais se abrem e fecham em cena; uma área cênica de 20m x 15m, e 2 andaimes (de 8m e 6m) compõem a dimensão extraordinária de uma encenação alegórica. São 26 atores em cena munidos de bonecos gigantes e outros objetos de cena inusitados, como um carro, cinco motos e uma ambulância.

Muitas vezes, os espetáculos de rua são tratados de maneira infantil, quase ingênua. A intenção é romper os limites deste tratamento superficial. Nesta montagem a opção foi penetrar nos mistérios das grandes aventuras da humanidade: a guerra, as doenças, a fome, o poder econômico, religioso ou político, entre outros.

Como todo mito grego, a vida de Hércules fala para além do fato, narra questões e desafios humanos colocados em todas as épocas. Nesse sentido, os grupos, na concepção do roteiro, buscaram compreender os desafios do homem da antiguidade e atualizar essas questões para o mundo contemporâneo. Hoje, o Leão de Neméia, que simboliza a força, poderia muito bem ser visto como a força do poder econômico; as aves negras do Lago de Estínfalo, que demonstram a escuridão dos desafios de difícil superação, podem ser comparadas à questão da fome.

Parlapatões e Pia Fraus respeitando as características de seus estilos, compõem uma unidade no que diz respeito à comunicação direta com a platéia, à utilização de recursos circenses, a uma constante pesquisa cênica e à manutenção de seus respectivos repertórios. Se de um lado, os Parlapatões aplicam-se em um humor verbal e na interação do público, de outro a tônica visual dos espetáculos do Pia Fraus, colocam-se como elementos que se integram. Em Hércules, a plasticidade e o humor irão dialogar com as dimensões gigantescas de cenário e bonecos.

Destacam-se, além das alegorias estabelecidas, de forte inspiração no carnaval, a busca de uma dramaturgia própria para a rua. A base erudita de uma história mitológica é traduzida por elementos da cultura popular, como o coro das Erínias e Íficles, irmão gêmeo de Hércules, que narram situando o espectador no contexto de cada cena.

O processo de investigação artística é resultado do projeto Hércules, Um Novo Paradigma para o Teatro de Rua , iniciado em agosto de 2005, no Programa de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo. Foram diversas oficinas preparatórias que contaram com a participação de atores, produtores, dramaturgos, cenógrafos, figurinistas e aderecistas, muitos dos quais foram selecionados para integrar a encenação.
As apresentações em São Paulo são viabilizadas pelo SESC São Paulo. O espetáculo conta também com o apoio cultural da CCR – Cultura nas Estradas.

04-ficha-tecnica
Ficha Técnica

Dramaturgia: Hugo Possolo
Direção: Beto Andreetta
Assistente de direção: Wanderlei Piras
Argumento e concepção cenográfica: Beto Andreetta, Hugo Possolo e Raul Barretto

Elenco: Raul Barretto (Hércules), Claudinei Brandão (Hera e Mauro, o Centauro), Henrique Stroetter (Eristeu; Atená e Melanipe), Marcelo Castro (Íficles) e Hugo Possolo (Zeus e Hipólita).

Coro: Denise Venturini, Helena Cerello, Joana Mattei e Marília Carbonari (Erínias).

Atores Manipuladores: André Martins, Camila Bevilacqua, Camila Ivo (Corça de Erínia e Gaia), Carol Di Deus (Alcmene), Dani New (Jesus), Dulce Coppedê (Mégara), Fabek Capreri (Bispo), Gilson César, J. E. Tico, Júlia Mascaro, Júlio César Dória, Mariana Goulart, Melina Menghimi, Patrícia Leonardélli, Pedro Negrão e Telma Negro.

Direção de Arte e Figurinos: Hugo Possolo
Trilha Sonora: Paulo Soveral
Iluminação: Tato Cobertt
Máscaras: José Toro Moreno
Preparação vocal: Carlos Bauzys

Confecção das alegorias cênicas: Gustavo Pinheiro e Sidnei Caria
Assistentes: Cláudia Muller, Daniel Segato, Francisco Wagner, Nana Oliveira, Yasmim Flores, Ricardo Siqueira, Alexandre Justino, Rodrigo Andrade, Juciê Batista, Dino Soto, Silas Caria

Consultoria circense: César Guimarães

Serralheria: Krismer Pepino e Rodnei Pepino

Costureira: Leci de Andrade

Diretor de palco: Jackson Íris e Paulo Pansani
Contra-regras: Alexandre Justino, Gustavo Pinheiro e Marcos Loureiro
Operador de som: Randolfo Neto
Operadores de luz: Christiano Resideri, André Silva Alves, Edmilson Aparecido Dalva, Rogério Pereira da Silva,Luiz Carlos Ribeiro Moraes

Direção de Produção: Raul Barretto
Produção Executiva: Cristiani Zonzini
Assistentes de Produção: Mariana Goulart, Júlio César Dória, Carol Di Deus e Vivian Dozono
Equipe de Produção: Calu Baroncelli, Daniela Renzo, Marco Antonio Senna, Raquel Araújo, Renata Bertelli

Comunicação e Assessoria de Imprensa: Vivian Dozono
Programação Visual: Werner Schulz

Redação do Programa: Hugo Possolo e Vivian Dozono

Fotos: Luiz Doroneto

Projeto realizado através do
Programa Municipal de Fomento ao Teatro
Para a Cidade de São Paulo – Lei 13.279/02

Apoio cultural:
CCR – Companhia de Concessões Rodoviárias
CCR – Cultura nas Estradas

Realização:
Sesc São Paulo
Parlapatões, Patifes & Paspalhões
Pia Fraus
Cooperativa Paulista de Teatro

O Programa de Fomento ao Teatro da Cidade de São Paulo é um importante mecanismo de viabilização das atividades culturais que os grupos teatrais da cidade realizam. No projeto Hércules, os grupos Parlapatões e Pia Fraus puderam dar continuidade às suas pesquisas artísticas, à manutenção de e apresentação de seu repertório e também tornaram viável a construção de uma encenação de grandes proporções para a rua.
Apresentá-lo gratuitamente para o público paulistano vaia além da contrapartida pela utilização de uma verba pública, é uma resposta aos anseios de uma relação artística significativa e aberta de como os grupos sempre desejaram se relacionar com sua cidade. Um fator determinante para o sucesso deste sentido coletivo de elaboração de uma obra artística foram as diversas oficinas aplicadas desde agosto de 2005. Abaixo, uma ficha técnica com os nomes dos participantes, orientadores e coordenadores do projeto:

Oficina de Interpretação
Coordenação Geral: Beto Andreetta, Hugo Possolo e Raul Barretto
Aulas aplicadas por: Wanderlei Piras (manipulação de objetos), Ângelo Madureira e Ana Catarina (danças populares).
Participantes: Adriana Telg, Adriane Escher, Alex Ramos, André Martins, Andrés Pérez Barrera, Camila Bevilacqua, Camila Ivo, Carlos Baldim, Carol di Deus, Carol Ferretti, César Figueiredo, Cristiana Ceschi, Cristina Sverzuti, Daniel Newton Pelli, Daniela Renzo, Daniela Rezende, Denise Moreira, Diovana de Oliveira Carvalho, Dulce Coppedê, Emanuela Rodrigues, Érika Malavazzi, Evandro Vaz, Fabek Capreri, Gabrielle Lopez, Gilson César, Gláucia Balbachan, Helena Cerello, Isabela Guglielmetti, Joana Mattei, João Martins, José Elias G. de Souza, Júlia Mascaro, Júlio César Dória, Karina Gomes, Leandro Oliva, Leonardo Abel, Luciana de Lima Gabriel, Mariana Goulart, Mateus Fernandes Romero, Melina Pires, Messias Carvalho, Monica Negro, Orlando Danço, Patrícia Albuquerque, Patrícia Franco, Patrícia Leonardelli, Paula Gonzalez, Pedro Bacellar, Philippe Iwantschul, Rafael Fanganiello, Renato Galvão, Renato Paio, Roberta Estevão, Rodrigo Racy, Samantha Maneschi, Sheila Alencastro, Simone Mello, Suzana Arruda, Tatiana Melitello, Telma Negro, Welligton Almeida.

Oficina de Dramaturgia
Coordenação Geral: Hugo Possolo
Assistente: Carlos Baldin
Participantes: André Briesi, Andrés Barrera, Antonio Kaibara, Daniel Ferrarezi, Dulce Coppedê, Emerson A. de Jesus, Erika Malavazzi, Fabiana Alves, Fernanda Castello Branco, Helena Cerelllo, Igor Leon, Kelly Alves, Luís Castello Branco, Luiz Faria, Marco Ponce, Mateus Fernandes Romero, Rodrigo Onas, Tathiana Valerio, Tuna Serzedello, Welligton Almeida.

Oficina de Produção
Coordenação: Cristiani Zonzini
Participantes: Arnaldo W. Bandini, Calu Baroncelli, Carla di Lovenzo, Carolina Di Deus, Cláudio Marinho, Daniela Renzo, Denise Moreira, Gisela Martins, Júlio César Doria, Luciana de Lima Gabriel, Marco Antonio Senna, Mariana Goulart, Patrícia Franco, Raquel Araújo, Renata Bertelli, Rodrigo Frias de Andrade.

Oficina de Alegorias
Coordenação: Beto Andreeta, Hugo Possolo e Raul Barretto
Aulas aplicadas por: Sidnei Caria (bonecos, adereços e objetos de cena) e Gustavo Pinheiro (cenografia)
Participantes: Camila Amaral, Carolina Lisboa, Cláudia Muller, Daniel Segato, Denise Moreira, Flávia Hiroki, Francisco Wagner, Júlio César Dória, Mariana Goulart, Mônica Martin

EM BREVE

  IMPRENSA

EM BREVE

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

EM BREVE