Parlapatões Revistam Angeli

(montagem 2013)

Parlapatões vivem personagens de Angeli

Após grande sucesso no Festival de Teatro de Curitiba e duas apresentações no Auditório Ibirapuera, o espetáculo Parlapatões Revistam Angeli realiza temporada no Espaço Parlapatões.
De 08 de junho a 27 de julho, com apresentações aos sábados à meia noite.

Os comediantes do grupo teatral Parlapatões encenam personagens do cartunista Angeli como Rê Bordosa, Meia Oito, Bob Cuspe e Os Skrotinhos, entre outros. Com trilha sonora de Branco Mello (Titãs) e de Émerson Villani (Funk Como Le Gusta) e direção do parlapatão Hugo Possolo, é uma revista rock’n roll que homenageia um artista ativo, criativo, polêmico, político, constante e muito importante
da história recente do humor no Brasil.

Em um palco livre, com telão para projeções ao fundo, atores recriam as situações das famosas tiras de Angeli. O roteiro geral desse teatro de revista roqueiro foi desenvolvido por Hugo Possolo a partir das tiras, charges e textos de Angeli.

Quadros curtos, de grande eficiência cômica, são dedicados a cada criação do artista, que também é representado em cena, com um personagem permanente em cena, quase um narrador, o Angeli em Crise. De seus pensamentos nascem cenas onde desfilam suas famosas personagens. Cada uma das cenas se alterna com projeções de desenhos do Angeli, que funcionam como cenário e também com os quais as personagens em cena dialogam.

A trilha roqueira feita em parceria por Branco Mello (Titãs) e Emérson Villani (Funk Como Le Gusta) é composta de músicas e canções criadas para sintetizar a obra e os personagens que há mais de 30 anos ocupam as páginas de grandes jornais brasileiros, especialmente a Folha de São Paulo. As composições Duas Coisas Que Eu E Uma Que Eu Adoro e República dos Bananas, transformam em música e letra séries de tiras de Angeli, enquanto  Vou Fumar Unzinho, recria o espírito das personagens Wood e Stok.

Lá estão em cena, Bob Cuspe vivendo um confronto de seu estilo de vida com um publicitário arrogante, Rê Bordosa em suas peripécias noturnas, suas ressacas e também com seu famoso fim, morta pelo próprio autor Angeli, além do anacrônico Meia Oito em busca de que seus ímpetos revolucionários possam ser compreendidos nos dias de hoje. Diversos quadros curtos apresentam também os Skrotinhos em diversas facetas como Pastores, Roqueiros Metal, entre outras loucuras da dupla mais politicamente incorreta dos quadrinhos nacionais.

Também não falta na peça a visão crítica sobre vida social e política brasileira, impressa no estilo marcante de Angeli de encarar as contradições de nosso país, no qual faz mais que a mera caricatura de determinadas personalidades políticas, mas sim o retrato distorcido da falta de personalidade e caráter da política brasileira.

A pesquisa para o roteiro se pautou no arquivo pessoal de Angeli, nas publicações para jornal e revistas, em especial a publicação Chiclete com Banana, onde as histórias das personagens ganham contornos de trama, cujo espírito se aproxima de uma narrativa teatral. Esse formato mais próximo da dramaturgia expande-se para além dos tradicionais três quadros das tiras diárias, criando situações que colocam as personagens em contextos mais cheios de nuances e de personagens anônimos que compõem a obra de Angeli.

Da mesma forma, a encenação faz o percurso inverso, onde se reproduz o clima de HQ, seja no texto, seja no aspecto visual, mas principalmente nos ambientes de identidade própria, urbanos, intensos e viscerais, que marcam a obra de Angeli.

O espetáculo estreou com enorme sucesso do Festival de Teatro de Curitiba, sendo os dos destaques da edição de 2013. Fez também duas sessões especiais no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Parlapatões Revistam Angeli chega agora à casa de seu grupo, o Espaço Parlapatões, para uma temporada incialmente prevista para dois meses, com apresentações aos sábados à meia-noite.

Os Parlapatões, com seus 22 anos de estrada, cruzam as influências desse artista, que coincide com seu humor direto e irreverente, criando um espetáculo vivo, alegre e crítico, fazendo uma festa com a alma ácida e divertida do homenageado.

04-ficha-tecnica Ficha Técnica 

Roteiro e Direção: Hugo Possolo
Textos: Angeli e Hugo Possolo
Elenco: Raul Barretto, Paula Cohen, Hugo Possolo, Rodrigo Mangal e Hélio Pottes
Contrarregra e figurante principal: Rodrigo Belladona
Direção musical: Branco Mello
Trilha sonora: Branco Mello e Emerson Villani

Cenografia, Figurinos, Máscaras e Bonecos: Hugo Possolo
Iluminação e operação de luz: Reynaldo Thomaz
vídeos: Zeca Rodrigues 

Produção musical e arranjos: Emerson Villani
Produção Executiva da Trilha Sonora: Angela Figueiredo / Especial Casa 5
Operação de som: Cauê Andreassa
Produção de Figurinos: Camila Possolo, Elisa Rosas e Janayna Oliveira
Costureira: Cleide Niwa

Produção Executiva: Erika Horn
Assistência de Produção e Comunicação: Janayna Oliveira
Coordenação de Produção: Raul Barretto e Hugo Possolo
Realização: Parlapatões / Agentemesmo Produções

*Parte dos figurinos deste espetáculo fazem parte do acervo dos Parlapatões, sendo criações de diversos figurinistas.
** Além de desenhos de Angeli, um dos vídeos utiliza imagens gentilmente cedidas por Otto Guerra de seu filme Wood & StockSexo, Orégano e Rock’n’Roll (2006), baseado nos personagens de Angeli.

  IMPRENSA

 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS